sábado, 30 de outubro de 2010

A direcção do sangue

Quando se viaja sozinho
pelas imagens que perduram
as evocações ganham um modo tão real
A mancha ténue dos arbustos
indica o caminho para o regresso
que nunca há
o mar ficou de repente perto
sobre esta praia travámos lutas
para as quais só muito depois
encontramos um motivo
era à pedrada que nos defendíamos
do riso mais inocente
ou de um amor
Mas aquilo que nunca esquecemos
deixa de pertencer-nos e nem notamos
Estamos sós com a noite
para salvar um coração

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O canto dos pássaros

Queria cantar como um pássaro.
Dizer aquilo que sinto sem que ninguém o perceba, mas, ao menos, dizia-o em alta voz e havia quem, no seu silêncio, ficava feliz por escutar-me.

Já pensaste como é bom ouvir o canto dos pássaros, no silêncio do teu ser?

Porque não ouves a minha voz?
Estou aqui! Clamo em alta voz!
Não entendes?
Afinal, já não quero ser um pássaro, porque...
Eu

sou
um
pássaro
!

(pena não conseguir voar até atingir o firmamento, o firmamento do teu ser)


sábado, 14 de agosto de 2010

«Fascinante!»

Eu sei que sou desactualizado - podem dizê-lo -!
Só hoje é que me pus a ouvir bem a música e fiquei "fascinado" ao ouvir cantar-se e falar-se numa das línguas africanas e revelar, ainda que muito levemente, alguns traços dessa cultura.
:-)


sexta-feira, 13 de agosto de 2010

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Green God


Trazia consigo a graça
das fontes quando anoitece.
Era um corpo como um rio
em sereno desafio
com as margens quando desce.
.
Andava como quem passa
sem ter tempo de parar.
Ervas nasciam dos passos,
cresciam troncos dos braços
quando os erguia no ar.
.
Sorria como quem dança.
E desfolhava ao dançar
o corpo, que lhe tremia
num ritmo que ele sabia
que os deuses devem usar.
.
E seguia o seu caminho,
porque era um deus que passava.
Alheio a tudo o que via,
enleado na melodia
duma flauta que tocava.
.

.
ANDRADE, Eugénio; «Poesia»

quarta-feira, 24 de março de 2010

:-D

domingo, 21 de março de 2010

Penso, logo escrevo!

Ouço uma música daquelas,
daquelas que me dão força, e
descubro um cansaço existente em mim.

Ouço aquela voz que não me sai da cabeça:
«O importante é pegarmos num dos nossos defeitos e tentar melhorá-lo».

Quero ter força para isso...

Quero melhorar-me,
não pelos outros,
não pelo que tu possas pensar,
mas por mim e para mim!

quarta-feira, 17 de março de 2010

Perdido...


Perdido

tento encontrar

um caminho


terça-feira, 16 de março de 2010

Um momento...

Olhei.
Pasmei.
Pensei.
Falei.
Pequei.

Não queria,
mas não consegui evitar.
Evitar de te olhar,
de ficar pasmado,
de pensar,
de falar,
até de pecar.

Agora,
agora o meu coração
bate fortemente
tentando descobrir
como fugir
à dor,
à desilusão,
ao pecado que é
ficar louco...

Louco por um momento!


João Pedro Gomes, 12-03-2010

domingo, 24 de janeiro de 2010

FÉRIAS...

A uma nota de ficar de férias «oficiais» da Faculdade.

Eu nem quero acreditar!

LOL

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

ACREDITA EM TI

...

Às vezes sinto isto:



...

uma imagem/palavra:




ESQUECE!

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Queria... Queria... Queria... SER FELIZ!


Pergunto-me onde estás Tu?


Onde está essa felicidade que busco?

Procuro, mas não encontro.

Encontro-Te, mas não Te vejo.


Manifesta-Te! Mostra-Te!

Abre os meus olhos!

Que antes de ver qualquer coisa ou outro ser qualquer, eu Te veja... Te veja a Ti!

Pois de que me vale o resto, se não Te tiver a Ti?


«O que há em mim é sobretudo cansaço!» - já dizia o poeta e eu corroboro!

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Sinto-me bem... :)

Depois de dois dias que não me pareceram reais, voltei ao meu mundo.
Hoje acordei bem. Acordei com a certeza de que vale a pena; de que tudo vale a pena!
Não preciso de ninguém, mas preciso de mim.
Quem sou eu sem mim? - É estúpida a questão, eu sei, mas a verdade é que se não gostarmos de nós próprios, se não nos tentarmos encontrar e viver um pouco que seja para nós próprios (não ao ponto de sermos egoístas em demasia, claro) não podemos ser verdadeiramente felizes.
Quero ser quem sou, sem medo de o ser!
Quem quer quer... Quem não quer quisesse!
Ah... Também quero ficar mesmo, mesmo, mesmo de FÉRIAS outra vez! :-P

domingo, 3 de janeiro de 2010

«Se não tiver caridade, nada me aproveita»


Neste novo ano, começo por partilhar convosco o que, para mim, é um dos textos mais belos de sempre:

«Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos,
se não tiver caridade,
sou como bronze que ressoa ou como címbalo que retine.
Ainda que eu tenha o dom da profecia
e conheça todos os mistérios e toda a ciência,
ainda que eu possua a plenitude da fé,
a ponto de transportar montanhas,
se não tiver caridade, nada sou.
Ainda que distribua todos os meus bens aos famintos
e entregue o meu corpo para ser queimado,
se não tiver caridade, de nada me aproveita.
A caridade é paciente, a caridade é benigna;
não é invejosa, não é altiva nem orgulhosa;
não é inconveniente, não procura o próprio interesse;
não se irrita, não guarda ressentimento;
não se alegra com a injustiça, mas alegra-se com a verdade;
tudo desculpa, tudo crê,
tudo espera, tudo suporta.
A caridade não acaba nunca.»

1 Cor 13, 1-8a

Agora, em vez de "caridade", leiam com a palavra "amor". ;-)